Long Tall Texans - Diversão, Paixão e Muito Psychobilly

The Long Tall Texans. Foto: Divulgação
Entre os dias 24 e 27 de fevereiro ocorrerá em Curitiba - PR, a 18ª edição do Psycho Carnival, um dos maiores eventos do estilo na América Latina. Entre as várias grandes atrações deste ano, destaca-se o Long Tall Texans, uma das bandas mais clássicas do Psychobilly, que se apresentará na noite do dia 25, no Jokers junto com Ovos Presley, Crazy Horses, Red Lights Gang, Kingargoolas e Zabilly.

A banda de Brighton no Reino Unido, surgiu no inicio dos anos 80, quando Mark Carew conseguiu um baixo emprestado e depois de muito estudo e empenho, se juntou ao guitarrista Mark ‘Boggles’ Denman e Bill Clifford na batera para formar o Long Tall Texans em 1984. Com a saída de Bill em 1985, quem assume as baquetas é Anthony (Theo) Theodotou, permanecendo até hoje na banda. Com várias mudanças no seu line-up, a banda se consolida com Matt Windler na guitarra e depois de um hiato de longos anos lançou o seu último álbum "The Devil Made Us Do It" pela Sunny Bastards em 2014 tendo uma ótima repercussão no cenário com o seu "Sugar-Psycho-Country-Rockabilly-Westernpunk-Cocktail" de músicas.

Confira abaixo a entrevista concedida ao Psychobilly Brasil com Mark Carew e Theo, falando um pouco da história da banda e do que podemos esperar desta nova passagem deles pelas terras brasileiras.

Leia também a entrevista em inglês, no final da matéria. Tradução de Marcio Maestrelli.

PB - Olá amigos, primeiramente gostaria de agradecer por esta entrevista. Em breve vocês estarão no Brasil fazendo parte do line-up do 18º Psycho Carnival. Certamente será uma noite inesquecível. O que podemos esperar desse show?
Theo - Apresentaremos algumas novas músicas e também músicas antigas que foram retrabalhadas.
Carew - Algumas músicas que não tocamos há anos, esperamos muita diversão. 

PB – Vocês estiveram aqui em 2009 para a tour do álbum “Adventure”, tocaram em Belo Horizonte, São Paulo e Curitiba. Quais as lembranças da passagem pelo Brasil?
Theo - Eu me lembro que estávamos dirigindo ao lado de uma floresta e vimos vários tucanos voando, ver isso foi algo incrível. A comida também é ótima, as pessoas são muito amigáveis, nós não tivemos nenhum problema no Brasil.
Carew - Eu não consigo me lembrar!!
Curitiba, 2009. Foto: Carlos Rodrigues
PB – E quais os sons que não podem faltar no set-list?
Carew - Get Back Wetback, Bloody & Girlfriend.
Theo - Long Tall Texan, Border Radio.

PB - Ao longo de seus muitos anos de estrada, o Long Tall Texans permanece como uma das grandes referencias do Psychobilly, no começo vocês já tinham a ambição de percorrer essa longa jornada e chegar a esse status?
Carew - Pare ser honesto, nós nunca pensamos que depois de 30 anos ainda estaríamos na ativa, nós não imaginávamos que iria durar tanto como está durando, Não percebemos, mas estávamos lá quando tudo isso começou e nos tornamos um pouquinho da história do Psychobilly, o que é muito legal, depois de 30 anos é bom se dar conta que tudo isso ainda está acontecendo. O mais importante é que ainda estamos nos divertido e apaixonados pelo que fazemos.
Theo - Não esperávamos passar por tantos guitarristas!

Mark Carew. Foto: Carlos Rodrigues
PB - Houve algumas mudanças na banda. Como isso os afetou e da mesma forma, como ela se fortaleceu?
Carew - Levou muito tempo para arrumar um guitarrista que fosse tão bom quanto o Mark Denman, esse processo incluiu arrumar um Saxofonista, levou 25 anos para chegarmos aonde queríamos chegar e foi através do Matt que conseguimos isso, o melhor guitarrista que já tivemos.
Theo - Ao passar dos anos o estilo das músicas também mudou um pouco, começamos basicamente com um Rockabilly puro e lentamente se desenvolveu com um pouco de SKA e um pouco mais de Punk, isso tudo mudou com os vários membros da banda.
Carew - Matt também gosta de Country Music, então ele usa alguns licks de country o que é legal.


PB - O ultimo album "The Devil Made Us Do It" veio depois de 9 anos do lançamento de "The Adventures Of The Long Tall Texans", podemos esperar algum novo trabalho em breve?
Carew - Estamos lançando um EP com 6 músicas pela Western Star Records em vinil, que deve estar pronto em Maio, estamos um pouco mais “old school”, estamos trazendo de volta o Psychobilly como deveria ser, isso é devido ao Allan (Wilson – do The Sharks). Eu realmente gosto da gravação que é chamada ‘Headless’ que só será disponibilizada em vinil

PB - E como e o processo de composição da banda? Letras, melodias, como isso funciona?
Theo - O quarto membro da banda.
Carew - Sim, nós temos um quarto e silencioso membro na banda chamado Garry Castleman, ele está lá mas você não pode ver seu rosto.
Theo - Ele vem com as ideias e nos “texanizamos” elas com nossos próprios sentimentos e o que queremos fazer com eles.
Carew - Ele escreve músicas muito malucas e melódicas que é o que gostamos.

PB – E de onde vem o nome "Long Tall Texans"?
Carew - Pegamos esse nome de uma música dos Beach Boys, depois disso descobrimos que era uma regravação de um antigo “bluegrass” mas primeiramente ouvimos a versão do Beach Boys.

PB - O que vocês pensam da cena atual do Psychobilly? A novas bandas, a renovação do som e todos os elementos que foram adicionados ao estilo?
Carew - Eu gosto dos novos elementos, gosto de ver novas bandas e como evoluem, você tem a velha escola do Psychobilly, tem o Psychobilly ruidoso, o Punkabilly, eu não me importo para honesto.
Theo - Isso ajuda mais pessoas a se envolverem com isso, de outra maneira, a cena estaria estagnada as pessoas não estariam mais interessadas ao menos que novas coisas sejam inventadas.
Carew - Sim, há bandas puristas, há bandas barulhentas, há um contraste que você pode escolher. 

PB - E para vocês, qual o futuro do Psychobilly?
Carew - Bom, todos estamos ficando velhos e carecas, eu imagino.
Theo - É provável que tudo mude de novo, tudo volta novamente.
Carew - Eu acho que o Psychobilly vai se regenerar, como nos últimos 30 anos, ele fica quieto, e derrepente grande novamente, um monte de pessoas acabam trazendo os filhos para este mundo, eles acabam amando ou odiando, existem várias crianças Rock n’ Roll por aí que daqui 10 anos estarão comprando nossas coisas e nós estaremos quase em nossos túmulos.
Theo - Nós não estamos longe de nossas sepulturas de qualquer maneira!
Foto: Divulgação

PB - E o futuro do Long Tall Texans?
Carew - Continuaremos enquanto nos divertirmos com isso, não existem planos para parar, nós nos divertimos não?
Theo - Sim!
Carew - Até o dia que não houver mais paixão então é hora de parar, você pode ver em algumas bandas que não há paixão enquanto tocam, eles estão lá somente por uma razão.

PB – Citem 3 bandas que vocês estão ouvindo atualmente
Theo - Eu também faço um monte de coisas punk então eu escuto um monte de Ramones, eu gosto de ouvir Rancid e The Clash. Eu também gosto de Slapbacks, uma banda de rock alemã.
Carew - Eu estou mais no Raggae, também gostamos de Rock n’ Roll antigo e “Do Wop” Theo e eu crescemos nisso. Também escuto Peacocks de vez em quando.
Theo - Showaddywaddy, Matchbox, Darts!
Carew - E os Wurzels, procurem eles no Google, no Brasil (risadas)

PB – Rapazes, obrigado novamente pela entrevista, sinto-me honrado por isso, espero vê-los em breve por aqui, deixem suas mensagens para os fãs.
Carew - Estamos ansiosos para encontrar alguns velhos amigos e novos também. Rock n Roll Brothers!


PB - Hello friends. I would like to thank you very much for this interview. Soon you’ll be in Brazil, being part of the Psycho Carnival 18th’s line-up. Certainly will be an unforgettable night. What can we expect from this show?
Theo - We have some new songs we’ll be throwing in and some old ones that we have re-jigged.
Carew - Some that we haven’t played for years, expect fun and frolics.
PB - The band was here in 2009 to “Adventure" album tour. Played in Belo Horizonte, São Paulo and Curitiba. What are the memories of the passage here in Brazil?
Theo - I remember we were being driven alongside the Jungle and a load of Toucans flew out, seeing wild Toucans flying was something else man. Also some of the food we ate there was quite amazing, the people were great, very friendly, we didn’t have any problems over there.
Carew - I can’t fucking remember!
PB - Which are the songs can’t be missing from the set-list?
Carew - Get Back Wetback, Bloody & Girlfriend.
Theo - Long Tall Texan, Border Radio.
PB - Throughout his many years of career, the Long Tall Texans stay as one of the greatest references of Psychobilly. At the beginning, did you already have the ambition to go through this long journey and reach this status?
Carew - Well to be honest with you we never thought we’d be still doing it 30 years down the line, we didn’t expect it to last as long as it has. We didn’t realise but we were there when it all started and have become a little bit of psychobilly history which is nice, after all these years it’s nice to realise and it’s nice that after 30 years it’s all still happening. Most importantly we’re still enjoying it and passionate.
Theo - We didn’t expect to go through so many guitar players either!
PB - There have been some changes in the band. How did it affect the band and in the same way, how did it strengthen?
Carew - It took a long long time to get a guitarist who was as good as Mark Denman, the process included getting a saxophone player, it took us 25 years to get where we wanted to get to and that was Brother Matt, the best guitarist that we’ve had, you hear that by his playing on the records, anyone can.
Theo - Also the music style has changed quite a bit over the years, it started off as pretty much pure rockabilly, it slowly developed with a bit more Ska, a bit more Punk, it’s all changed with various members of the band.
Carew - Also Matt likes Country music so he throws country licks in which is cool.
PB - The last album "The Devil Made Us Do It" came in 2014 after 9 years of "The Adventures Of The Long Tall Texans" realease. Can we expect any more new work coming soon?
Carew - We are releasing a six-track EP with Western Star Records on blue vinyl, which should be out in around May, we’ve gone a little bit old school on it. We’ve taken it back to how psychobilly was supposed to be, that’s down to using Alan [Wilson – of The Sharks] which was cool, we’ll probably step forward again too at some point. I really like the recording and it’s called ‘Headless’ and is only going to be available on vinyl.
PB - And how is the process of band composition? Lyrics, melodies, how do you work?
Theo - The fourth member of the band.
Carew - Yes we have a fourth silent member of the band called Garry Castleman, he’s there but you can’t see his face.
Theo - He comes up with ideas and we ‘Texanize’ them with our own feel and what we want to do with them.
Carew - He writes very whacky and melodic songs which is what we like, we like a tune.
PB - Where did the name "Long Tall Texans" come from?
Carew - We got it from an old Beach Boys song, before that it was an old Bluegrass song but we first heard the Beach Boys version initially.
PB - What do you think about the current Psychobilly scene? The new bands, the renewal of the sound and all the elements that have been added to the style?
Carew - I like the new elements, I like to see new bands and I like to see it progress, you’ve got your old school psychobilly, then you have your noisy then punkabilly I don’t mind them all to be fair.
Theo - It helps more people get into it, otherwise it stagnates and people aren’t interested any more unless you move it along and invent new things.
Carew - Yes, and a lot of bands do, there’s purist bands, there’s noisy bands, there’s a contrast you can take your pick.
PB - And for you, what's the future of Psychobilly?
Carew - Well we are all getting older, bald heads I should imagine.
Theo - It’ll probably all change again, everything comes around again.
Carew - I think it’ll regenerate, like over the last 30 years, it goes quiet then it’s big again then it’s quieter. A lot of people who have kids bring them up in that kind of world, they either end up loving it or hating it, you have a lot of rock n roll kids out there who in another 10 years will be buying our stuff and we’ll be almost in our graves. Theo - We’re not far from our graves anyway!
PB - And the future of Long Tall Texans?
Carew - We’ll keep going as long as we enjoy it, there’s no plans to give it all up, we enjoy it don’t we?
Theo - Oh yeah.
Carew - Until the day comes there’s no passion left then it’s time to give up. You can see in some bands, there’s no passion when they’re playing, they’re just there for one reason.
PB - And three bands you listen up actually.
Theo - I also do a lot of punk stuff so I listen to a lot of Ramones, I like to listen to Rancid and old school The Clash. I also like The Slapbacks a German Rocking band.
Carew - I’m into more the Reggae stuff we also like old school Rock N Roll and Do Wop me and Theo grew up on that. I listen to The Peacocks now and then.
Theo - Showaddywaddy, Matchbox, Darts!
Carew - Oh and the Wurzels, Google them in Brazil – [laughs]
PB - Boys, thank you again for this interview. I am honored for this. I hope see you soon here. Leave your message to the fans.
Carew - We look forward to seeing some old friends and some new friends and rocking out the venue, rock and roll brothers!

Stay Psycho!
Share on Google Plus

About Bone Shaker

Criador do Psychobilly Brasil. Carioca, pai, esposo, trabalhador, aprendiz de baterista e entusiasta na internet. Formado em História e amante da música. Descobriu o Psychobilly com o Sick Sick Sinners e desde então decidiu que queria aquilo para sua vida. É baterista da banda Skullbillies a qual tem uma relação de amor e ódio.
    COMENTAR COM GOOGLE
    COMENTAR COM FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

O Psychobilly Brasil agradece a sua participação. Volte mais vezes!
Stay Psycho!