Psychobilly - A Importância das Coletâneas

Estamos envolvidos em um gênero musical totalmente desconhecido na grande mídia e até mesmo dentro do underground tem uma divulgação precária (na verdade o Psychobilly ainda é underground ate mesmo onde ele nasceu), e isso acaba dificultando o trabalho das bandas em sua divulgação e o próprio desenvolvimento da cena.

As bandas que escolhem fazer parte desta vida sofrida tem que se virar para conseguir os recursos para se manter, (e como cada localidade tem sua própria cena, sua bolha) isso acaba unindo as bandas em torno de um objetivo em comum que é: sobreviver.

Dentro desta circunstância os álbuns compilatórios desempenham um papel de grande importância como meio de divulgação e colaboração entre as bandas.

Funciona até como um empurrãozinho quando a banda esta começando e não tem muitas musicas ou também para bandas estabelecidas que tem muitas musicas mas não esta no seu momento para gravar.

Participar de coletâneas cooperativas é a melhor forma de uma banda sair do seu circulo e mostrar sua arte para mais pessoas, compartilhando seus fãs. Inclusive, muitas bandas começam saindo da garagem por meio das coletâneas. O underground sempre funcionou naquele esquema "uma mão lava a outra" - os festivais também tem um papel bem semelhante.

Quando saiu a coletânea Psychorrendo, em 1997 a jovem cena Psychobilly deu mais um passo para fora do ovo, levando varias bandas na ativa para novos públicos (eu mesmo na época só conheci algumas daquelas bandas através desta coletânea). Foi a primeira coletânea de Psychobilly nacional em CD e a maioria das musicas deste álbum como: Maniac Rockers - "Andrade" e Ovos Presley - "Defuntos Também Sabem Dançar" viraram clássicos que todos nós conhecemos.

Marcou um importante avanço no fortalecimento da jovem cena brasileira naquela época pré-internet, e um exemplar físico desta joia hoje em dia já é artigo raro.



A mais nova coletânea em CD envolvendo apenas bandas Psychobilly's nacionais saiu o ano passado, a Psychozidos. Contando com as bandas: BBooms, Diablo Cabron, Tampa do caixão, Zabilly e Skullbillies.

Esta também foi uma coletânea muito importante, pois pegou bandas não tão novas como o B.Booms e o Tampa do Caixão, mas também contou com algumas bandas que ainda estavam começando e buscando seu espaço na cena Psychobilly do Brasil e não encontravam meios meios e recursos para divulgação. Um trabalho como sempre feito com muito esforço pelas próprias bandas envolvidas.

Esta compilação é importantíssima para mostrar a quantas anda o Psychobilly no Brasil e até entender um pouco para onde está indo. Uma segunda edição já está sendo organizada.

(Já falamos sobre esta coletânea em outras oportunidades neste site. Mais informações sobre ela AQUI)

Algumas destas bandas também participaram da coletânea virtual "The more I work, the faster my money goes", lançada pelo site "Nada Pop" que já comentamos AQUI e que pode ser ouvida abaixo:


Outra coletânea importante lançada nos primórdios foi "O Monstro Compilation", que foi a primeira compilação nacional que teve participação de uma banda gringa convidada, o grande Meantraitors. Contém também alguns clássicos nacionais como Ovos Presley - "Cão Sarnento", Limbonautas - "Vudu É Pra Jacu" e Os Catalépticos - "Barbecue Girl". Foi lançada em 2000 e também não é fácil de se achar nos dias de hoje.

Depois desta foi lançada pela Barulho Records em 2002 outra coletânea "Dance With a Chainsaw". Reunindo no mesmo álbum bandas do Brasil, Holanda, Estados Unidos e Inglaterra. Do lado brasileiro temos grandes nomes nacionais como Kães Vadius, Skyzoids, Ovos Presley, Brown Vampire Cats, Krappulas e Limbonautas. Do lado gringo expoentes do Psychobilly internacional como Gazoo Bill, The Ripmen, Hangmen, Astro Zombies, Dragstrip Demons, Cenobites e Chibuku. Essencial para quem gosta do estilo.

Tudo que foi dito acima também vale para a cena gringa em qualquer lugar do mundo e qualquer estilo musical, as coletâneas sempre tiveram papel vital de divulgação e intercambio entre as bandas e publico.

Abaixo algumas sugestões de coletâneas gringas fundamentais do Psychobilly: 

Rockabilly Psychosis And The Garage Disease (1984)
Com sua capa emulando revistas antigas de super heróis, esta é uma das melhores coletâneas do gênero. Temos aqui um apanhado de clássicos originais do rock'n roll doideira que tiveram sua influencia na criação do Psychobilly como Hasil Adkins - "She Said", The Trashmen - "Surfin' Bird", The Sonics - "Psycho", The Legendary Stardust Cowboy - "Paralysed"... ou seja, só tem maluco nesta serie. Este é obrigatório.




Stomping At The Klub Foot (1984)
Coletânea gravada na meca do Psychobilly, o lendário Klub Foot, onde tudo começou pra valer. Uma serie de 5 discos gravados inteiramente anos 80 contando a historia do gênero desde seu inicio.As gravações ao vivo dão uma boa ideia de como era o clima das apresentações dos primórdios do Psychobilly neste boteco lendário. Contando com a maioria das bandas mais importantes na criação do gênero como: Restless, Guana Batz, The Stingrays, Demented Are Go, Frenzy, The Pharaohs, Wigsville Spliffs, Torment, Coffin Nails, Batmobile, Skitzo e Long Tall Texans. Documento histórico.

Psycho Attack Over Europe! (1985)
Outra coletânea indispensável que vem em uma serie de 5 volumes com bandas de varias partes da Europa abrangendo diferentes estilos conforme cada banda. O primeiro e segundo volumes foram relançados em CD mas com algumas musicas excluídas por questões de Copyrights. Esta coletânea traz o que havia de mais interessante no "Neorockabilly" e Psychobilly na metade dos anos 80. São destaques: P.O.X. - "Baby What You Want" e Batmobile com suas clássicas 'Slapping Suspenders", "Scum Of The Neighbourhood" e "Transsylvanian Express".

Psycho Attack Over Poland! (2004)
O 'Psycho Attack Over Poland!' se propôs a apresentar o melhor do Psychobilly e Rockabilly na Polônia. Lançada em 2004, juntou bandas mais conhecidas e estabelecidas na cena local com bandas novas que estavam tocando a pouco tempo. Algo que torna esta coletânea especial é o fato de que muitas das musicas foram gravadas especialmente para ela. A maioria (se não todas) as bandas desta coletânea são desconhecidas do lado de cá do Atlântico e do hemisfério, o que a torna ainda mais interessante para nós.

The Best Of Fury Psychobilly (1998)
Esta coletânea lançada em 1998 pela Fury Records foi a primeira focada exclusivamente na vertente mais pesada do Psychobilly e reuniu as melhores bandas do gênero naquele momento. Uma compilação muito bem selecionada, um pacote de distorção e peso de bandas que fogem do "tradicional" e "oldschool". São vinte musicas com a nata do Psychobilly como: The Sharks, Polecats, Skitzo, Mad Sin, Demented Are Go e Klingonz. Na primeira edição tivemos o Brasil representado pelos Catalepticos com a faixa "Gambling With a Demon".

Kongpilation (1995)
Lançado em 1995, o Kongpilation é a primeira coletânea da França. Trazendo o mais puro Psychobilly francês, foi lançada em 1995 e reúne bandas pouco conhecidas na cena com bandas bem sucedidas até os dias de hoje como Kryptonix, Celicates e Banane Metalik.




V.A. The Godfathers Of Psychobilly (2012)
Coletânea de 2 CDs, reunindo no total 50 musicas com o que há de mais doido no reino do Rockabilly. Esta compilação traz um panorama do "underground lado B" do Rock n' Roll trazendo musicas inacreditáveis dos artistas mais malucos dos primórdios. Recomendado para iniciados e iniciantes, contem muitos clássicos bem conhecidos misturados a algumas raridades que contribuiram para formar os padrões do que viria a ser chamado de Psychobilly. Clássicos estes que vem desde os anos 50 até os anos 80, são tesouros de artistas como Link Wray, Jack & Jim, The Rock-A-Tones, Dick Dale, Al Casey, The Sonics, Screaming Lord Sutch entre outros.

Coletâneas como estas acima são ótimas formas de conhecermos novas bandas e novas musicas dentro de um estilo ou tema especifico. Mais que isso, adquirindo as coletâneas de bandas independentes você está contribuindo para o crescimento de uma cena e abrindo mais espaço para novas bandas fortalecerem o seu gênero musical preferido, faça parte!
Share on Google Plus

About Vagner Rocker Gt

Na sinuca da vida eu sou a bola branca. Aprendiz de alcoólatra, não tenho dinheiro nem deus no coração. Sou graduado em muitos nada e gosto de falar sozinho mas beber acompanhado. Costumava aparecer quando rodava o disco da Xuxa ao contrario, mas agora posso ser encontrado tocando psychobilly por aí, em http://deicidasuicida.blogspot.com.br/ ou https://www.facebook.com/rockergt
    COMENTAR COM GOOGLE
    COMENTAR COM FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

O Psychobilly Brasil agradece a sua participação. Volte mais vezes!
Stay Psycho!