Inocentes e Reverendo Frankenstein fazem show beneficente no Inferno Club, em São Paulo

Um dos pioneiros do punk brasileiro, Inocentes faz show no Inferno Club com o Reverendo Frankenstein, banda de “rock and roll frankenstein” do ABC paulista. O pós-punk do Segundo Inverno e o punk rock do The Outsiders completam a programação, que começa às 18h. O evento busca arrecadar alimentos para ao Lar de Idosos Vivência Feliz, que também presta assistência a moradores de rua.

O Inocentes nasceu em 1981 sob o signo do punk paulistano, e rapidamente se destacou em festivais pela cidade. Já em 1982, participou do primeiro registro em vinil de bandas punks brasileiras, a coletânea “Grito Suburbano”. As performances poderosas e a postura firme da banda logo a alçaram ao patamar de uma das porta-vozes do movimento. A banda vai fazer um apanhado dos 35 anos de carreira, com clássicos como “Pânico em SP” e “Pátria Amada.” Desde 1995, a banda é formada por Clemente Nascimento (voz e guitarra), Ronaldo Passos (guitarra), Anselmo Carlucci (baixo) e Nonô (bateria).

Na ativa desde 2012, o Reverendo Frankenstein - assim como o Dr. Victor, da clássica história de Mary Shelley - usa seu entrosamento de quase dez anos para juntar pedaços de influências musicais de vários estilos como rock and roll, rockabilly, surf music e punk rock para criar uma nova criatura de esqueleto psychobilly, um monstro com personalidade própria. Todos os pedaços aparecem aqui ou ali, mas o conjunto da obra vira uma nova vida.

Essas referências aparecem em músicas como a instrumental “A vingança de Frank”, na blueseira “Lado escuro” e em “Trauma”, que tem um pé no swing. “Esse ser” e “Entre trevas” seguem a linha psychobilly, ora com influenciados por Cramps, ora por Meteors.

Veja o clipe da faixa “Lado Escuro”, do Reverendo Frankenstein: 

Criado em 2009, o Segundo Inverno é formado por Dennis Monteiro (voz/guitarra/programações eletrônicas), Penna Lopes (baixo) e Renato Andrade (voz/guitarra), influenciados pelo post punk e a no wave, com letras existenciais e críticas sociais. Já o The Outsiders existe há pouco mais de um ano e conta com músicos que já passaram por bandas como Karne Krua, Câmbio Negro HxC e New City Rockers. 

Serviço:
Inocentes, Reverendo Frankenstein, Segundo Inverno e The Outsiders
Local: Inferno Club (Rua Augusta, 501, Consolação - 3120-4140)
Sábado, 7 de maio, a partir das 18h.
Ingressos: R$15 + 1 Kg de alimento não perecível* ou R$ 25 (sem alimento)
Informações: (11) 3120-4140

*Os alimentos serão doados para o Lar de Iodoso Vivência Feliz, que abriga idosos e presta assistência a moradores de rua. Uma organização sem fins lucrativos fundada em 1995. www.vivenciafeliz.org.br

Sobre o Reverendo Frankenstein
Nascida no início do fim dos tempos – 2012, segundo o calendário Maia - a banda Reverendo Frankenstein é formada por M. Krempel (vocal), Alex from Hell (guitarra), Felipe INRI (baixo) e Fábio Koveiro (bateria). Assim como o Dr. Victor, da clássica história de Mary Shelley, seus integrantes usam seu entrosamento de quase dez anos para juntar pedaços de influências musicais de vários estilos como rock and roll, rockabilly, surf music e punk rock para criar uma nova criatura de esqueleto psychobilly, um monstro com personalidade própria. Todos os pedaços aparecem aqui ou ali, mas o conjunto da obra vira uma nova vida.


Em junho de 2014, o Reverendo Frankenstein lançou o single digital Lado Escuro, disponível nas principais lojas de música digital (iTunes, Spotify, Rdio, Deezer, etc). Além da faixa-título, o “lado B” traz também a surf instrumental “A Vingança de Frank”. Em março de 2015, a música “Lado Escuro” foi uma das escolhidas para o CD que acompanha a edição daquele mês da revista alemã Dynamite! Em abril, a faixa integrou a coletânea Weird Fervo! #1, lançada em vinil. Atualmente, a banda está finalizando Está vivo... Está vivo!, seu primeiro disco, que será lançado em 2016.

http://www.vevo.com/artist/reverendo-frankenstein
Share on Google Plus

About Bone Shaker

Idealizador do site Psychobilly Brasil. Carioca, pai, esposo, trabalhador, aprendiz de baterista e entusiasta na internet. Formado em História e amante da música. Descobriu o Psychobilly com o Sick Sick Sinners e desde então decidiu que queria aquilo para sua vida. É baterista da banda Skullbillies a qual tem uma relação de amor e ódio.
    COMENTAR COM GOOGLE
    COMENTAR COM FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

O Psychobilly Brasil agradece a sua participação. Volte mais vezes!
Stay Psycho!