Sick Sick Sinners - Vlad conta como foi a Summer Tour 2015

Sick Sick Sinners - Divulgação

Depois de uma exaustiva, mas importante turnê passando pela América do Norte e pela Europa para divulgar o último álbum “Unfuckinstoppable”, o Sick Sick Sinners, a mais conceituada banda brasileira de Psychobilly no mundo, retorna a terra natal para descansar e trabalhar em novos projetos e ações. Confira abaixo a entrevista concedida por Vlad, guitarrista e vocalista da banda, ao Psychobilly Brasil.

PB - Vlad, primeiramente agradecemos por nos conceder esta entrevista. O Sick Sick Sinners é uma banda extremamente importante para o cenário Psychobilly nacional, pois carrega o espírito brasileiro no mundo todo, lembrando que sim, nós temos Psychobilly. Assim como outras grandes bandas, mesmo com o fim d’Os catalépticos, ainda temos o nosso espaço nos grandes festivais e encontros internacionais. Nesta turnê, vocês passaram por quais cidades? 

Esse ano foi uma tour menor do que nos outros anos, apesar das distâncias, passamos por menos cidades, mas tocamos em Long Beach nos EUA, depois em St. Petersburgo e Moscou na Rússia, Lille e Paris na França, Vivey, Delamont e Genebra na Suíça e Pineda del Mar na Espanha no festival Psychobilly Meeting, com um total de 9 shows na tour. 

PB - E qual a importância da Summer Tour 2015 para o SSS?

Foi muito importante, primeira vez que estivemos na Rússia, um lugar sensacional, e também a primeira vez que tocamos com o Sick Sick Sinners no Psychobilly Meeting, um dos mais importantes festivais de Psychobilly da Europa. E é muito bom para a banda estar sempre na Europa, desse jeito que vão aparecendo mais e mais oportunidades.

Pineda del Mar
PB - E como foi a receptividade do público nestes shows?

Foi sensacional, difícil dizer quais foram os pontos altos da tour em relação ao público, mas nunca vamos esquecer dos shows na Rússia e no festival de Pineda por que acho que foi o maior público que já tivemos na Europa e a recepção muito foda, parecia que estávamos em casa. Apesar de que sempre que tocamos em Lile e em Paris é foda!

PB - Por questões de agenda, o Emiliano não pode ir nesta tour na Europa. Como foi tocar com o Celso, batera do Kingargoolas?

Isso infelizmente o nosso batera o Emiliano Ramirez não ir desta vez, mas foi muito massa também fazer a tour com o Celso, além de ser uma pessoa impar é um excelente músico, então foi muito fácil fazer a tour com ele. Um cara que em 4 ensaios pegou todas as 20 músicas que tocamos na tour... sem palavras.

PB - Antes da Europa, vocês foram para Califórnia tocar no "Ink n Iron", conte-nos um pouco mais sobre a passagem por lá.

Sempre que vamos para a Califórnia somos muito bem recebidos, temos uma família, um público legal lá, desde Os Catalépticos, então só isso já vale demais. Além disso, o festival Ink n Iron é um puta festival, muitas bandas boas, de todos os estilos num lugar sensacional, uma marina em frente ao navio Quenn`s Mary que é aonde tem a convenção de tatuagem e aonde as bandas ficam hospedadas. O show foi muito massa, vendemos todo o nosso merch la, fora CD’s e LP’s, então para a banda sempre é muito legal.

PB - Além do próximo show do dia 08 de agosto em Curitiba, o SSS já tem mais algum show agendado?

Estamos marcando alguns shows. Em São Paulo já agendado e estamos fechando mais algumas coisas. 

PB – Muito obrigado mais uma vez Vlad. Desejamos, como sempre, todo sucesso ao Sick Sick Sinners, a ti, ao Cox e ao Orleone com seus trabalhos fora da banda também. Esperamos que mais tours aconteçam dentro e fora do Brasil e que muitos trabalhos sensacionais como este último álbum venham para o deleite dos fans, falando nisso, deixe sua mensagem aí para todos.

Nem gosto de chamar de fans, são amigos, turma endiabrada hehehe. Mensagem é aquela: aproveitem a vida com parcimônia, sem encher o saco de ninguém, cada um cuidando da sua vida mas se divertindo pra caralho por que é isso que a gente gosta!! uhauhahua valeu!!!

Stay Psycho!!
Share on Google Plus

About Bone Shaker

Idealizador do site Psychobilly Brasil. Carioca, pai, esposo, trabalhador, aprendiz de baterista e entusiasta na internet. Formado em História e amante da música. Descobriu o Psychobilly com o Sick Sick Sinners e desde então decidiu que queria aquilo para sua vida. É baterista da banda Skullbillies a qual tem uma relação de amor e ódio.
    COMENTAR COM GOOGLE
    COMENTAR COM FACEBOOK

0 comentários:

Postar um comentário

O Psychobilly Brasil agradece a sua participação. Volte mais vezes!
Stay Psycho!